domingo, outubro 18, 2009

Entrevista Exclusiva com Fabio Mocci Camargos

Terapeuta que utiliza a terapia Tradicional e de Vidas Passadas com abordagem psicanalítica


01. Quem é Fabio Mocci Camargos?

Eu sou uma pessoa que busca constantemente dar um significado maior a minha própria vida. Depois de quase 28 anos, constatei que o mais próximo que chego a essa significação é quando ajudo uma pessoa a superar seus problemas e questões com a terapia. Sou um sonhador, sonho em estender esse meu objetivo com o Yôga, com música, com educação sustentável, com negócios sustentáveis etc.


02. Qual era sua religião? Você freqüentava regularmente? E hoje?

Desde cedo aprendi, da minha forma pessoal, a me ligar ao Sagrado. Já adulto, durante a faculdade, conheci o Johrei da Igreja Messiânica, me apaixonei instantaneamente pela irradiação de energia por imposição de mãos: o Johrei. Os outros dois valores da Messiânica: o Belo – dedicação as artes de bom gosto e a Agricultura Natural – produção de alimentos sem agrotóxicos também tiveram bastante peso na decisão de me tornar integrante dessa religião.

Eu freqüentei a Messiânica cerca de 4 anos, sendo o último ano, em 2005, o mais intenso. Minha grande realização era fazer uma mini peregrinação pelos hospitais, UTIs e casas de pessoas doentes após o horário do meu antigo emprego para prestar assistência religiosa/espiritual com o Johrei, solicitada pelas próprias pessoas ou pelos seus familiares. Foi um dos melhores períodos da minha vida, viver pelo próximo foi uma experiência que não tenho palavras para descrever e que também deixou boas histórias e amigos.

Hoje eu não sigo nenhuma religião e todas ao mesmo tempo. Não sigo nenhuma porque senti uma necessidade de trilhar uma “carreira solo”, desvinculada de qualquer instituição. O Sagrado está em tudo e em todos, para acessá-lo basta querer. E todas ao mesmo tempo porque todas as religiões falam do mesmo Sagrado com nomes diferentes e tenho algo a aprender com cada uma delas. Assim como Sri Ramakrishna, um importante espiritualista do século XIX, eu considero todas as religiões válidas, importantes e fundamentais para todos os seus seguidores. Não deve haver desentendimentos entre diferentes religiões. Deve haver um profundo respeito mútuo entre todas, todas elas levam o homem a Deus.


03. Qual era sua profissão e o que levou você a mudar?

Eu me formei em Ciência da Computação. Trabalhei com desenvolvimento de sites e sistemas web de 2002 à 2009. Hoje estou trabalhando mais com terapia de vidas passadas e outras técnicas. O que me levou a mudar foi a busca de um sentido maior para minha vida. Ganhar um salário razoável num trabalho comum e seguro não estava satisfazendo meus anseios mais íntimos: ajudar o próximo, colaborar na construção de um mundo melhor, compartilhar os conhecimentos que tenho e ser mais autêntico com minhas próprias verdades. Hoje ainda trabalho com tecnologia numa pequena empresa que estou estruturando.


04. Como funciona a terapia de vidas passadas que você aplica?

A Terapia de Vidas Passadas é uma técnica em que se busca no inconsciente as causas dos sofrimentos de uma pessoa. Essas causas podem ser eventos mal compreendidos que ficam na memória mais profunda, seja algo que ocorreu durante a infância ou mesmo algo que ocorreu em uma vida anterior. Re-vivenciar a experiência traumática do passado que está gerando problemas sem explicação lógica no presente através da regressão de memória ajuda as pessoas a se autocurarem e se autoconhecerem melhor.


05. O que é e como funciona a técnica dos sinos tibetanos?

Eu aprendi essa técnica através do livro Sons que Curam do oncologista norte-americano Dr. Mitchell Gaynor, o prof. Wagner Borges indicou esse livro numa de suas aulas. O Dr. Gaynor aprendeu com um de seus pacientes, um monge tibetano com diagnóstico de câncer a meditar com o som dos sinos tibetanos. Dr. Gaynor começou a aplicar a meditação em seus outros pacientes e constatou que a sobrevida deles aumentava em alguns anos e em alguns casos chegava até mesmo ocorrer a cura da doença.

O funcionamento é bem simples: friccionando um bastão de madeira na borda do sino em movimentos circulares faz com que seja emitido um som, como se fosse um “oooommmmm” contínuo. Enquanto esse som é emitido pode se orientar ao cliente que fique em silêncio e apenas escute o som ou pode-se fazer dinâmicas em que o cliente participa com cânticos bem baixinhos sobrepondo o som do sino ou trabalhando seus pensamentos, sentimentos e emoções.


06. O que é cura prânica? Onde ela surgiu pela primeira vez?

A Cura Prânica é uma técnica de irradiação de bioenergia por imposição de mãos assim como o Reik, o Johrei, o passe anímico, o passe mediúnico etc. Fica complicado dizer onde ela surgiu pela primeira vez dado que ela apareceu em diferentes povos e tradições sob os diferentes nomes que citei. O chinês-filipino Choa Kok Sui foi um dos primeiros a sistematizar essa técnica através de livros e cursos. A norte-americana Barbara Ann Brennan também escreveu um livro importante chamado Mãos de Luz que fala sobre cura através do trabalho com bioenergia.


07. Em seu consultório você é assistido por Espíritos que o ajudam no tratamento das pessoas?

Não saberia responder com precisão porque não consigo percebê-los, não tenho a mediunidade desenvolvida o suficiente para esta percepção. Mas eu gosto de acreditar que essa assistência esteja ocorrendo e que todo trabalho de terapia está sob proteção espiritual e sendo intuído por uma Luz especial. Alguns clientes que têm a mediunidade desenvolvida já perceberam algo durante suas sessões e uma cliente, certa vez, me passou uma mensagem desses amigos de outros planos.


08. Dos mestres espirituais que conheceu e teve a oportunidade de pesquisar, qual foi aquele que mais lhe chamou a atenção? Porque?

De certa forma todos os mestres antigos: Jesus, Buda, Krishna, Rama, Yogananda, Ramakrishna, Aurobindo, São Francisco, Babaji, Vivekananda, Chico Xavier, Gandhi, Mikao Usui, Meishu Sama, Ramana Maharish, Osho, Paracelso e tantos outros participam, de alguma forma, da minha vida, seja através da leitura, das aulas que assisto etc.

Não tem um que me chama mais a atenção mas existe um que eu escolhi para fazer meu trabalho de conclusão da pós-graduação em Yôga, é o Ramakrishna por sua mensagem da espiritualidade universalista e da sua estreita relação com o Bhakti Yôga – O Yôga da devoção. Esse trabalho foi feito no formato de entrevistas com as seguintes pessoas: Swami Nirmalatmananda, Prof. Shotaro Shimada, Eduardo Chohfe, Swami Sunirmalananda, Prof. Enki, Vitor Hugo França, Prof. Wagner Borges, Ana Maria Onça Feola e Fiore Feola Filho, Maurício Mattos Santini, Alexandre Campelo e Prof. José Hermógenes . Essa monografia pode ser acessada em www.fabioterapeuta.com.br/ramakrishna.


09. Como você vê a atual situação do planeta Terra?

Eu sou muito otimista. Sei que a situação aqui no planeta não é a melhor, mas também sei que, em muitos aspectos, estamos numa fase muito melhor que em comparação ao passado. Espero que no futuro as coisas estejam melhores ainda.


10. Como você imagina a Terra daqui 20 anos?

Imagino uma Terra 20 anos mais evoluída em relação a atualidade. Apesar de muita gente ter visões pessimistas o processo evolutivo não pode ser brecado. Provavelmente teremos alguns progressos mais significativos na cultura de paz e na sustentabilidade geral.


11. Se você pudesse escolher apenas um país para visitar, qual seria?

Não sonho em conhecer algum país em particular. Estando perto dos meus professores de Yôga, de espiritualidade e de terapia já está de ótimo tamanho para mim. Em termos de lazer e descanso gosto muito de passar os feriados em ecovilas pela integração entre pessoas, natureza, e sustentabilidade que elas favorecem.


12. Como você conheceu o "Arquivo Confidencial"?

Eu sou amigo do criador do Arquivo Confidencial, o Roberto Munhoz, da época de cursinho e depois chegamos a trabalharmos juntos numa agradável e divertida coincidência profissional.


13. Tecnologia ajuda ou atrapalha?

Tecnologia usada com consciência e maturidade sempre ajuda. O que atrapalha é nosso modelo sócio-econômico que só viabiliza projetos que dão lucro a uma minoria. Me pergunto: porque ninguém faz um sisteminha que impede que o automóvel de uma pessoa alcoolizada dê a partida, ou um sistema que evite colisões no trânsito, ou sistema de apoio pra reduzir o tempo de anos para meses de tratamento com aparelhos ortodônticos. O homem desenvolve foguetes e leva robôs a outros planetas mas não tem interesse em desenvolver uma tecnologia que ajude pessoas com problemas de locomoção. Em muitos casos já temos disponíveis as tecnologias que tornariam a vida muito melhor, mais simples e agradável, mas agora precisamos aguardar que o desenvolvimento consciencial se eleve aos mesmos patamares que o técnico chegou.


14. Indique 3 livros, 3 filmes, 3 programas de TV, 3 músicas, 3 sites, 3 Twitters legais para acompanhar, 3 vídeos no Youtube.

Livros: Para não ser tão injusto vou escolher três autores: Wagner Borges, Ken Wilber e Osho.

Filmes: La Belle Verte, A Pantera Cor de Rosa (série original com Peter Sellers), e comédias no geral, evito filmes com violência (física e verbal).

Programas de TV: Vou ficar devendo, eu não assisto TV.

Músicas: A minha preferida é Bohemia Rapsody do Queen, de resto gosto de Rock, Rock Progressivo, Heavy Metal, Musica Clássica, MPB, Jazz, Blues, Mantras, sou bem eclético.

Sites: o meu (risos): http://www.fabioterapeuta.com.br/, o do IPPB: http://www.ippb.org.br/, e o Google http://www.google.com/ pra achar as informações na web.

Twitters: o meu (risos) http://twitter.com/fabioterapeuta, http://twitter.com/ArqConfidencial

Vídeos no Youtube: Basicamente os que coloquei nesta sessão do meu site: http://www.fabioterapeuta.com.br/saiba-mais/videos/espiritualidade


15. Deixe um recado para nossos leitores.

Transformar esse mundo num lugar melhor não é complicado nem demorado, basta que cada um de nós troquemos pensamentos, posturas, atitudes, hábitos, sentimentos e emoções negativas e destrutivas por opções melhores, mais saudáveis, mais generosas, mais amorosas e mais sustentáveis. Isso pode ser feito imediatamente e por todos, dentro das possibilidades de cada um. Se todas as pessoas tomassem essa decisão, mesmo que a partir de pequenos atos esse mundo se transformaria profundamente. Por que não tentar a partir deste exato instante?

5 comentários:

Renata Vilas Boas disse...

Oi Roberto!

Adorei a entrevista. Parabéns pela iniciativa!

Anam Cara disse...

Fabio,

Parabéns pela entrevista e pelas mensagens que deixou e também pelo trabalho que vem fazendo na área que escolheu. Eu concordo com você quando diz que podemos transformar o mundo a partir de pequenos atos. Tomara que todos nós possamos refletir e agir sobre isso.

Antonio disse...

Muito legal entrevista. Conheci o Fabio no IPPB, mas não sabia da profunidade do seu trabalho. Legal Fabio. Paz e amor a você.
Antonio

durval disse...

Durval Brasil - conheço o Fábio a alguns anos em convivio no GAE, do IPPB, e ele aparenta,e é essa pessoa integra e bondosa que passa para quem o vê exatamente o que lí e não sabia o conteúdo maravilhoso que ele possue. " PAZ E LUZ "," OM Amigo OM "

Rogério Cabride disse...

Fábio,
Fiquei muito bem impressionado com seu site e nele pude observar como vc está preparado para falar sobre assuntos de natureza tão importante para os seres humanos!
Forte abraço,
Rogério Cabride
SBPi