terça-feira, novembro 13, 2007

Garoto-Aranha salva criança de incêndio

"Não vai adivinhar quem ele quer ser. O Homem-Aranha.
-Por quê?

-Ele reconhece um herói quando vê um.

Poucos fazem esse tipo de coisa, sair voando por aí salvando velhas garotas como eu... Só Deus sabe, o quanto garotos como o Henry, precisam de um herói.
Pessoas corajosas, que se sacrificam... dando exemplo para todos nós. Todo mundo ama os heróis. As pessoas fazem fila para vê-los. Torcem por eles. Gritam seus nomes. E anos depois dirão como ficaram na chuva por horas só para ver um reflexo daquele que os acolheu em seus braços por um segundo a mais. Acredito que existe um herói em cada um de nós, que nos mantém honestos, que nos dá força, que nos fazem pessoas boas e finalmente nos permite morrer com orgulho. Mesmo sabendo que em certos momentos, devemos ser fortes e deixar de lado o que mais queremos. Até mesmo os nossos sonhos."

Tia May, personagem do filme
Homem-Aranha 2 (Spider-Man 2)


Garoto-Aranha brasileiro ganha destaque internacional

Uma casa em chamas, um bebê em apuros e um heróico resgate realizado pelo Homem-Aranha.

O que parece ser a descrição de uma cena já vista em qualquer gibi do personagem da Marvel, é uma história real que aconteceu na semana passada no Brasil, mais precisamente na cidade de Palmeira, em Santa Catarina. Na verdade, o "Homem-Aranha" em questão é Riquelme dos Santos, um garoto de apenas 5 anos de idade, que brincava na rua, fantasiado como seu ídolo dos gibis, quando avistou o fogo no quarto da pequena Andrieli, de quase dois anos.

Andrieli dormia enquanto sua mãe, Lucilene Córdova, lavava roupa do lado de fora da casa. Ela admitiu não ter socorrido a filha por medo, mesmo motivo pelo qual seu filho, que brincava com Riquelme, também não o fez. Demonstrando calma e atitude incomuns em uma criança de sua idade naquela situação, o garoto disse a Lucilene para não gritar ou chorar, pois ele salvaria Andrieli. O menino entrou na casa em meio às chamas e saiu de lá cumprindo sua promessa com louvor.

Os bombeiros, que minutos depois chegaram ao local do incêndio, elogiaram a bravura de Riquelme, mas fizeram questão de alertar quanto à atitude perigosa e nada recomendável da criança.

Essa impressionante história ganhou repercussão em todo o Brasil, graças à divulgação feita pela agência de notícias RBS. Sites, jornais e TV de todo o País acabaram tornando o "Garoto-Aranha" uma celebridade instantânea.

Segundo o Diário Catarinense, Riquelme foi o centro das atenções na Escola Municipal Antonieta Farias de Souza, onde cursa o pré-escolar. Mas, de imediato, ninguém acreditou em sua história, que parecia fantasiosa demais para ser verdade. Após a confirmação de seu relato na imprensa, entretanto, colegas e professores aplaudiram efusivamente o pequeno herói. "Puxa, eu também queria ser o Homem-Aranha!", disse um dos seus colegas de classe, de acordo com o Diário Catarinense.

A história do "Garoto-Aranha" também repercutiu fora do Brasil. No fórum de discussão do site jornalístico "Democratic Underground", dos Estados Unidos, vários leitores discutiram o assunto. "É um bravo garotinho!", "Que bom que ele não se machucou", foram alguns dos comentários.

Já no blog aberto "NowPublic", também dos Estados Unidos, a notícia foi divulgada destacando que o "pequeno Homem-Aranha salvou um bebê de um incêndio no Brasil e se tornou um herói nacional".

Outro detalhe sobre o garoto merece ser registrado. Assim como Peter Parker, o alter ego do Homem-Aranha, Riquelme é vítima de um drama familiar. Ele foi abandonado pela mãe quando tinha 11 meses de idade e, atualmente, seu pai mora em outra cidade. Por isso, o garoto é criado por sua tia, o que revela outra incrível coincidência com sua "contraparte" dos quadrinhos. Como se não bastasse tudo isso, o "Garoto-Aranha" traz consigo outra qualidade de todo super-herói que se preza: a abnegação. Isso foi comprovado pela recusa de Riquelme em aceitar uma recompensa de R$ 50 por ter salvado o bebê.

De acordo com informações do jornal gaúcho "Zero Hora", no próximo ano o menino será homenageado pelo Corpo de Bombeiros, em solenidade na qual receberá uma estatueta.

Quanto a Andrieli, sua família está necessitando de outra ajuda. Sua casa está destruída, além do que móveis, eletrodomésticos e a quantia de R$ 150 (que seriam usados para pagamentos de contas de energia e do mercado) foram perdidos no incêndio.

Para saber como contribuir com doações, basta ligar para os telefones 0XX-49-3275-0980, 3275-3516 ou 3275-0692.

Fonte
http://www.universohq.com/quadrinhos/2007/n12112007_06.cfm



Vestido de Homem-Aranha, menino de 5 anos salva bebê em SC

Um menino de cinco anos, que estava vestido com a camisa do Homem-Aranha, salvou um bebê durante um incêndio na cidade de Palmeira (236 km a oeste de Florianópolis), segundo o Corpo de Bombeiros de Santa Catarina. Riquelme Wesley Maciel dos Santos colocou longe das chamas Andrieli dos Santos, a filha de um ano e dez meses de uma vizinha, em um bairro de classe média baixa do município na tarde de quinta-feira.

De acordo com os bombeiros da cidade de Otacílio Costa, que atenderam a ocorrência, a dona da casa, Lucilene dos Santos, 36, percebeu que a moradia estava pegando fogo e correu para a rua.

Riquelme, que brincava no quintal da casa de sua família, viu o desespero da mãe, que dizia que o bebê havia ficado em um dos quartos da casa. Ele decidiu tentar salvar a criança. O garoto de cinco anos entrou na casa, tirou o bebê do berço e, com dificuldades, trouxe a menina para o pátio, longe do perigo, segundo o relato dos bombeiros. Ninguém se feriu. Apenas Lucilene e o bebê estavam em casa no momento do incêndio.

Sem medo

Na hora do resgate, o menino vestia uma camisa do Homem-Aranha, super-herói dos quadrinhos e do cinema. "Ele disse que não tinha medo porque era o Homem-Aranha", conta o soldado do Corpo de Bombeiros local, Giovanni Cunha. O bombeiro diz que antes de entrar na casa o menino tentou acalmar a mãe de Andrieli.

O Corpo de Bombeiros foi acionado logo após Riquelme ter resgatado a menina. O incêndio consumiu cerca de 80% da casa de Lucilene, que era de madeira e tinha cerca de 50 metros quadrados. Um curto-circuito foi a provável causa do fogo, segundo os bombeiros. A cidade de Palmeira tem 2.300 habitantes.

Fonte
http://noticias.bol.uol.com.br/brasil/2007/11/09/ult4733u7515.jhtm

2 comentários:

Anônimo disse...

Um Verdadeiro anjo!

Um super heroi!!!
:)

Lindo!!!!

Anônimo disse...

COM CERTESA DEUS ENTROU COM ELE NAS CHAMAS... VC É MEU HEROI RIQUELME...