domingo, outubro 26, 2008

Suposta pegada de Yeti é encontrada no Nepal

Japoneses dizem ter achado pegada do 'Abominável Homem das Neves'
Grupo do Japão organizou explorações em monte do Nepal

Alpinistas japoneses que retornaram de uma montanha no oeste do Nepal disseram nesta terça-feira (21/10/2008) terem encontrado pegadas do que eles imaginam ser o Abominável Homem da Neves, ou Yeti.

"Nós vimos três pegadas que parecem ser de uma criatura humana", disse Kuniaki Yagihara, um membro do Yeti Project Japan, em Kathmandu, após retornar da montanha com fotografias das pegadas.

Os alpinistas, equipados com câmeras de longo alcance, filmadoras e telescópios, disseram, no entanto, que não viram ou tiraram qualquer fotografia da criatura. Segundo os aventureiros, a criatura deve viver nas regiões do Nepal e é amplamente considerada pela comunidade científica como um mito.

Yagihara, de 61 anos, disse que fotos das pegadas foram encontradas na neve, a cerca de 4.800 metros de altitude, na montanha de Dhaulagiri, oeste do Nepal. "Nós sabemos como são as pegadas de ursos, cervos ou bodes da montanha, e esta não é nenhuma delas", acrescentou ele. "Nós acreditamos que estas pegadas pertencem a um Yeti".

Fonte
http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL805268-5603,00

segunda-feira, outubro 20, 2008

Avião quase se chocou com OVNI na Inglaterra

Relato é parte dos arquivos secretos divulgados pelo Ministério da Defesa britânico.

Um avião de passageiros da companhia aérea italiana Alitalia quase se chocou com um Ovni (Objeto Voador Não Identificado) quando sobrevoava a cidade inglesa de Kent, em 1991, de acordo com arquivos do Ministério da Defesa britânico divulgados nesta segunda-feira.

Segundo o registro, divulgado pelo Arquivo Nacional, o piloto do avião gritou "Olha isso, olha isso!" para o co-piloto ao ver um objeto marrom parecido com um míssil passar rapidamente por cima da aeronave.

De acordo com o capitão, o objeto teria passado a cerca de 300 metros acima do avião. Logo depois da aparição, a torre de controle afirmou ao piloto que o único objeto identificado pelo radar estaria a cerca de 10 milhas náuticas atrás do avião da Alitalia.

Investigações das aviações civil e militar não conseguiram explicar o caso. Depois de determinar que o objeto não se tratava de um míssil, balão ou foguete, o Ministério da Defesa fechou a investigação.


Arquivos

O incidente em Kent é um dos 19 arquivos sobre aparições de Ovnis que cobrem os anos de 1986 e 1992 e podem ser baixados do site dos Arquivos Nacionais da Grã-Bretanha.

O governo britânico deve liberar cerca de 200 arquivos sobre as aparições ao longo dos próximos quatro anos. Em maio, os primeiros oito arquivos foram revelados, cobrindo os anos de 1978 a 1987.

Entre os arquivos revelados nesta semana está ainda o relato de um piloto da Força Aérea americana que teria recebido uma ordem de atirar em um Ovni que apareceu em seu radar enquanto sobrevoava a região de East Anglia, no leste da Inglaterra.

Há também uma carta de uma mulher, afirmando ser do sistema planetário Sirius, que diz que sua nave caiu na Grã-Bretanha durante a Segunda Guerra Mundial.

Para o especialista em Ovnis da Universidade Sheffiel Hallam, David Clarke, os documentos oferecem novas informações sobre aparições pouco conhecidas.

"O assunto é deturpado por charlatões e lunáticos e por isso é um crime contra a carreira profissional ter seu nome associado aos Ovnis, o que é uma pena", disse. "O Arquivo Nacional está fazendo um trabalho fantástico. Cada um pode ter sua própria interpretação", afirmou Clarke.

"Agora é possível olhar para o material primário - as coisas que o Ministério recebe todos os dias - e formar sua opinião", concluiu.

Fonte
http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL805062-5602,00-AVIAO+QUASE+SE+CHOCOU+COM+OVNI+EM+NA+INGLATERRA.html

A reportagem menciona mas não oferece o link para o site da Agência Nacional Britânica.
Clique aqui para acessa-lo. Abaixo o vídeo da reportagem exibida na rede Globo no dia 20/10/2008 às 21h20.

video

sexta-feira, outubro 10, 2008

Radiotelescópio na Ucrânia tenta contato com ETs

Em 9 de outubro de 2008, cientistas da agência espacial da Ucrânia enviaram centenas de mensagens da Terra em direção ao planeta Gliese 581C, há 20 anos-luz de distância.

Para enviar os sinais os pesquisadores utilizaram a gigantesca antena do radiotelescópio RT-17, localizada na cidade de Evpatoria, normalmente utilizada para detecção de asteróides e observações espaciais. Ao total foram enviadas 501 mensagens, entre fotos, desenhos e mensagens de texto, que foram codificadas em formato binário.

Viajando à velocidade da Luz, a 300 mil quilômetros por segundo, as mensagens deverão chegar a Gliese 581C no ano de 2029 e caso sejam respondidas por alguma civilização, a resposta só chegará a nós em 2049. Entre os temas enviados estão o meio-ambiente, política, paz mundial e as relações familiares.


180 trilhões de quilômetros

Os sinais foram enviados às 03h00 pelo horário de Brasília e de acordo com o diretor técnico do observatório, Oli Madgett, passaram por Marte quatro minutos depois e na manhã de Sábado deixarão o Sistema Solar. Até chegar a Gliese 581C os sinais terão viajado nada menos que 180 trilhões de quilômetros.

Segundo Mark Charkin, organizador do evento e diretor do site de relacionamento que organizou o experimento, "a mensagem é uma oportunidade para que os nativos digitais de hoje possam se conectar com a ciência e com o amplo universo de uma forma simples, divertida e imersiva".


Experimento Válido

Já para o astrônomo Seth Shostak, ligado ao Instituto de Tecnologia da Califórnia, que também trabalha com busca de vida extraterrestre, é grande a chance de que os alienígenas não compreendam as mensagens, mas isso é irrelevante. "O objetivo pode simplesmente ser: bem, nós estamos aqui e somos espertos o suficiente para construir um transmissor de rádio e tentar um contato".

"Assim, se alguém está lá fora e receber nosso sinal, pelo menos vai saber que naquela direção do sistema estelar existe um planeta que vale a pena ser explorado", explicou Shostak.

Fonte
http://www.apolo11.com/

Foto
Antena do radiotelescópio RT-17, na cidade de Evpatoria, na Ucrânia, de onde partiu o sinal em direção a Gliese 581C.