terça-feira, novembro 04, 2008

Dr. Hamilton Naki, O Cirurgião Clandestino

Nunca apareceu nos noticiários, mas sua história é uma das mais extraordinárias do século XX.

Hamilton Naki, Um negro sul-africano de 78 anos, morreu em maio de 2005. A notícia não apareceu nos periódicos, porém, sua história é uma das mais extraordinárias do século XX.

Naki era um grande cirugião. Foi ele quem retirou do corpo da doadora o coração que foi transplantado em Louis Washkansky em 1967 na Cidade do Cabo, na primeira operação de transplante cardíaco realizada com êxito. Era um trabalho muito delicado. O coração doado teria que ser retirado e preservado com o máximo cuidado.

Naki era o segundo homem mais importante na equipe que fez o primeiro transplante cardíaco da história. Porém, não podia aparecer porque era um negro no país do apartheid. O cirurgião chefe do grupo, o branco Christian Barnard, se transformou em uma celebridade instantânea. Porém Hamilton Naki não podia sair nas fotografias da equipe.

Quando apareceu em uma por descuido, o hospital informou que era um empregado do serviço de limpeza.

Naki usava bata e máscara, porém jamais estudou medicina ou cirurgia. Havia abandonado a escola aos 14 anos. Era jardineiro na Escola de Medicina da Cidade do Cabo. Começou limpando as jaulas, porém era curioso e aprendia depressa. Aprendeu a técnica cirúrgica, vendo os médicos brancos que praticavam transplantes em cachorros e porcos.

Se transformou em um cirurgião tão excepcional, que o Dr. Barnard o requisitou para sua equipe. Era um problema para as leis sul-africanas. Naki, negro, no podia operar pacientes ou tocar sangue de brancos. Porém, o hospital o considerava tão valioso que fez uma exceção e o transformou em um cirurgião... clandestino.

Porém, isso não o importava e ele seguiu estudando e dando o melhor de si, apesar da discriminação. Era o melhor. Dava aulas aos estudantes brancos, porém ganhava salário de técnico de laboratório, o máximo que o hospital podia pagar a um negro. Vivia em uma barraca sem luz elétrica nem água corrente, em um güeto da periferia, como correspondia a um negro.

Hamilton Naki ensinou cirurgia durante 40 anos e se retirou com uma pensão de jardineiro, de 275 dólares por mês. Quando o apartheid terminou, concederam-lhe uma condecoração e o título de médico honoris causa. Nunca reclamou das injustiças que sofreu ao longo de toda sua vida. Apesar da clandestinidade e discriminação, jamais deixou de dar o melhor de si em sua paixão por ajudar a viver.

Dr. Naki, por tudo quanto destes para a humanidade em detrimento de seus próprios interêsses, agradecemos. Hamilton Naki, médico magnífico e um ser humano excepcional.

Fonte
Apresentação ppt recebida por e-mail
"EL CIRUJANO CLANDESTINO"
Autor: Alicia Cesca (
http://br.groups.yahoo.com/group/tempo_de_germinar/)

8 comentários:

Fernando Martin disse...

"O mais burro não é o racista. É o que pensa que o racismo não existe.
O racista só é um babaca que assimila preconceitos porque tem a cabeça muito fraca. Falta de educação no mundo."

Anônimo disse...

visete o blog . seu blog é muito bem elaborado.
visite o blog http://espiritoquantico.blogspot.com/
fala sobre o tema viagem astral.

http://espiritoquantico.blogspot.com/

http://espiritoquantico.blogspot.com/

http://espiritoquantico.blogspot.com/

Goj disse...

Rob, já assistiu um filme chamado "Quase deuses"? Enquanto lia seu post associei automaticamente.

Abraço.

Alexsandra Moreira disse...

Quando li o post tb associei ao filme "Quase deuses" e olhe que eu nem assisti, um amigo me contou por alto...

Cb A. MOURA disse...

Muito boa esta postagem, gostei tanto que irei por em meu blog, se existe uma coisa que realmente eu fico indignado, é racismo, não importa qual tipo de racismo, meus parabéns pelo excelente blog, sempre que visito seu blog aprendo alguma coisa nova. Mais uma vez meus parabéns!!!

meirivam disse...

Fiquei muito emocionada ao ler a história do Dr. Hamilton Naki.Um exemplo de vida para todos nós...Diante de tanto capitalismo...Penso até que ele merece uma Associação com o nome dele, em algum lugar do mundo.

Lucila Ferreira disse...

GRANDIOSO É O DR. HAMILTON OS OUTROS SÃO DIGNOS DE NOSSAS ORAÇÕES POIS SÃO ESPÍRITOS AINDA EM EVOLUÇÃO EM PATAMAR DIFERENTE.AQUI NA TERRA A COISA FUNCIONA ASSIM,ATÉ O DIA QUE TUDO SE NIVELAR.DEPENDE DE NÓS.POBRES BRANCOS SUL AFRICANOS

Paulo disse...

História Falsa

Mais uma daquelas lindas histórias que circulam na Internet, mas que infelizmente são falsas. Tempos atrás ouvi falar sobre o Sr Hamilton Naki, que aprendeu medicina por conta própria e que supostamente teria feito o primeiro transplante de coração da história, mas quem teria levado o crédito é o Dr Christiaan Barnard.

Bom, a verdade é que quem fez o primeiro transplante de coração foi realmente o Sr Christiaan Barnard. Sobre a história do Dr Naki, não sei se a falsa versão foi inventada pelo próprio Sr Naki, ou posteriormente por outras pessoas.

O fato é que vivemos em uma época onde inúmeras histórias são inventadas. Muitas delas lindas, que nos encantam e nos encorajam, mas que no fundo, são falsas.

Repito o que já disse inúmeras vezes: busque sempre a verdade dos fatos. É melhor uma verdade triste do que uma mentira que nos faça feliz.