quinta-feira, dezembro 22, 2005

O Livro dos Espíritos - Parte I Capítulo II

O homem penetrará um dia no mistério das coisas que lhe são ocultas?
– O véu se levanta para ele à medida que se depura; mas, para compreender algumas coisas, precisa de faculdades, dons, que ainda não possui.

* Quanto mais é permitido ao homem penetrar pelo conhecimento nesses segredos, maior deve ser sua admiração pelo poder e sabedoria do Criador; mas, seja pelo orgulho ou fraqueza, sua própria inteligência o torna, muitas vezes, joguete da ilusão. Amontoa sistemas sobre sistemas e cada dia que passa lhe mostra quantos erros tomou por verdades e quantas verdades rejeitou como erros. São outras tantas decepções para o seu orgulho.


Espírito é sinônimo de inteligência?
– A inteligência é um atributo essencial do Espírito, mas ambos se confundem num princípio comum, de modo que, para vós, são a mesma coisa.


O espaço universal é infinito ou limitado?
– Infinito. Supondo que fosse limitado, devíeis perguntar: o que haverá além de seus limites? Isso confunde a razão, bem o sei, e, entretanto, a própria razão diz que não pode ser de outro modo. Essa é a idéia do infinito em todas as coisas, e não é na vossa pequena esfera que podeis compreendê-lo.

* Supondo-se um limite ao espaço, por mais distante que o pensamento possa concebê-lo, a razão diz que além desse limite há alguma coisa, e, assim, sucessivamente, até o infinito; porém, se essa alguma coisa fosse o vazio absoluto, ainda seria espaço.


O vazio absoluto existe em alguma parte no espaço universal?

– Não, nada é vazio. O que imaginais como vazio é ocupado por uma matéria que escapa aos vossos sentidos e aos vossos instrumentos.


* Allan Kardec

Um comentário:

andrezzammagalhaes disse...

Pesquisando achei esse site...uma pergunta interna que me atormenta desde 1986...eu tinha 7 anos exatos...levantei da cama já de madrugada corri a janela de casa como se algo me chamasse...eu dormia antes...um "disco voador",lento e enorme (poderia cobrir umas 5 ou mais casas de 3 quartos e suas dependecias básicas) passava por cima do telhado de minha casa,bem baixo...cinza com algumas luzes discretas internas,nada iluminava o solo...não consigo desenhar por mais que tentasse...mais a minha memória guarda essa imagem.Na manhã seguinte junto aos amigos da vizinhança,comentei o fato,um outro amigo mais velho em poucos anos, também afirmou ter visto o mesmo disco,os outros riram de nós...uma semana depois o cometa Halley passava e todos estavam na rua avistando ou tentando avistar o mesmo.Nasci espírita,nunca frequentei outro lugar que não um centro,leio e releio a codificação sem que isso me saia da memória...ouvi,vi e senti espíritos...nasci sem neuroses aparentes,hoje adulta apresento neuroses ou transtornos de personalidade que nunca me adoeceram pq a espiritualidade me chama e guia na reforma moral e intelectual,a familia traz caracteristicas básicas de esquizofrenia,ciclos viciosos se repetem relacionados a isso,como a aparição de pessoas no convivio social com os mesmos transtornos...como um aviso a que vim...evolução mesmo...tendências a serem melhoradas...quis comentar isso aqui pq nos centros comuns a que frequento,sou ignorada qt ao fato...AS PERGUNTAS,ENTÃO:

Seria possivel o "disco" ter me aparecido e a meu amigo como uma certeza de que mundo viemos?

Pela época(nasci em 1979,PODEMOS INDENTIFICAR ISSO?

Poderia o meu espírito ser reconhecido (EXISTEM REGISTROS DE REENCARNAÇÕES DE ESPÍRITOS NESSA ÉPOCA EM 1979),ter vindo de algum planeta e assim indentificar certas caracteristicas de reforma necessária?Como por exemplo os espíritos cristais e indigos do Planeta de Alcione?

Compreenderam?Não consigo me expressar melhor!!!Foi real o que vi,jamais ninguém me convencerá de que eu alucinei...queria uma explicação espiritual para tal acontecimento,além da que eu já encontrei na codificação.