domingo, julho 29, 2007

Jennifer Love Hewitt perdeu o medo da morte após estrelar 'Ghost Whisperer'

Apesar do fascínio por assuntos paranormais, Jennifer Love Hewitt temia tanto a morte antes de viver a Melinda Gordon de "Ghost Whisperer" que não conseguia nem participar de uma conversa sobre o assunto. "Eu não conseguia nem imaginar que isso poderia acontecer com alguma pessoa querida ou comigo mesma, mas aprendi com a Melinda que a morte não é o fim de tudo", contou a atriz em entrevista. Hewitt falou também sobre sua relação com os fãs, a responsabilidade de ser uma das produtoras de "Ghost Whisperer" e contou como conheceu o namorado nos bastidores da série.

Você passou por alguma situação engraçada por causa da série?
JLH - Quando vejo alguém falando sozinho na rua, vou até ela e começo a corrigi-la em público, o que não é uma atitude muito normal (risos). As pessoas me olham e devem pensar "uau, ou essa atriz realmente precisa de umas férias, ou ela é uma louca". Tenho que lembrar que nem todos vivem no meu mundo de fantasmas e aprender a ficar calada (risos).

As reações e cartas que você recebe dos fãs de "Ghost Whisperer" devem ser bem excêntricas, não?
JLH - Com certeza. Nunca havia feito um trabalho que rendesse um retorno tão grande do público. Muitas pessoas me pedem para entrar em contato com seus parentes que já morreram, o que é bem difícil para mim porque, obviamente, não posso fazer isso. Já aconteceu também de pessoas me dizerem que seus parentes morreram de uma forma muito parecida com algum episódio da série. Elas dividem suas histórias comigo, me abraçam e nós choramos juntas.

Na sua opinião, pessoas que têm o mesmo dom da Melinda são abençoadas ou amaldiçoadas?
JLH - Olhando de fora, parece um dom, pois ela dá um presente para as pessoas. Mas acho que se você tem uma pessoa falando no seu ouvido o tempo todo, também pode parecer uma maldição (risos). Converso muito com o médium James Van Praagh e ele me ajuda a entender mais sobre esse dom. Acho que a série é sobre uma mulher que tem um dom e ajuda as pessoas, mas também sobre uma mulher que quer ter uma vida normal, mas isso é bem difícil quando você fala com as paredes (risos).

Você acha muito importante ser uma das produtoras da série?
JLH - É importante demais. Sinto-me muito honrada por produzir a série. Apesar de confiar plenamente no criador e nos roteiristas de "Ghost Whisperer", é muito bom saber que tenho poder para discutir sobre os rumos dos personagens. Na minha opinião, este foi o principal motivo pelo qual quis ser produtora da série.



Fonte
http://www.overcampus.com/isfree/noticia_exibida.php?id=94

Um comentário:

Claudiane disse...

esse seriado eh tudo foi a prtir dele que comecei a descobrir um lado espiritual que antes eu não tinha ou pode se chamar de religiao